quinta-feira, 22 de julho de 2010

Bandas&Músicas: Angra


Oi Gente, sou Daniella Potter e venho mais uma vez aqui no Dark Rock Belém para falar do meu assunto favorito Bandas&Músicas, e a banda da semana é o Angra (PS: Minha banda favorita XD).

História
A banda foi formada por Antônio "Toninho" Pirani, então proprietário da revista Rock Brigade e do selo Rock Brigade Records por volta de 1991, no auge do estilo metal melódico. Toninho convocou músicos com potencial e outros velhos conhecidos como o vocalista Andre Matos, com quem já havia trabalhado nos tempos de Viper como empresário. Os músicos Kiko Loureiro (guitarra), Rafael Bittencourt (guitarra), Luís Mariutti (baixo), e Marco Antunes (bateria) completaram o time. A idéia era aproveitar a onda do power metal (ou metal melódico como o gênero ficou conhecido no Brasil) que estava bastante popular na Europa, Japão e no Brasil graças a nomes como Helloween e Gamma Ray, porém com uma identidade e influências brasileiras. O nome significa deusa do fogo na mitologia tupiniquim, além de significar uma pequena enseada ou baía usada como porto natural. Além disso, também foi escolhido por parecer com o adjetivo em inglês angry, que significa "raivoso". O quinteto ensaiou praticamente por um ano para lançar sua primeira demo tape, intitulada Reaching Horizons em 1992. No ano seguinte, ainda desconhecidos do grande público, o Angra viajou para a Europa para gravar seu primeiro LP, Angels Cry. Considerado por muitos o melhor álbum da banda, Angels Cry obteve ótima repercussão tanto no Brasil como no exterior (principalmente no Japão, onde a banda alcançou uma marca de mais de 100 mil cópias vendidas), graças à inteligente mistura de heavy metal e música clássica, sonoridade que marcou o estilo da banda.[1][2] Pouco antes das gravações do álbum, Marco Nunes deixou a banda, o que fez com que a bateria fosse gravada por Alex Holzwarth. Em seguida, Ricardo Confessori assumiu as baquetas do Angra. Depois de passar o ano de 1994 excursionando pelo Brasil, o Angra iniciou as gravações de seu novo álbum CD em 1995. Holy Land, lançado em 1996, é o disco que trouxe à tona diversas influências brasileiras, sem, no entanto, deixar de lado o peso e a técnica do heavy metal. Isso valeu à banda ainda maior reconhecimento internacional, culminando em shows por diversos países europeus, como Itália, França e Grécia, além de proporcionar ao grupo mais um disco de ouro (100 mil cópias) no Japão. No início do ano seguinte, a banda faria sua primeira turnê pelo Japão, um dos países no qual são mais populares. Como conseqüência de tantos shows bem sucedidos, foi lançado em 1997 o EP Holy Live, com quatro faixas ao vivo gravadas em Paris. A banda teve o videoclipe da canção "Make Believe" indicado para o MTV Video Music Awards de 1997, acabando como um dos mais votados. O ano de 1998 marcou o início de mais uma produção do Angra. Com Chris Tsangarides na produção (que trabalhou, entre outros, com Helloween e Judas Priest), a banda antecipou seu próximo álbum com o single de três canções Lisbon, lançado em julho daquele ano. O álbum completo, intitulado Fireworks foi lançado em setembro do mesmo ano, mostrando a banda menos voltada para os ritmos brasileiros e mais dedicada ao heavy metal. Durante a turnê do álbum, os problemas de relacionamento com o empresário Antônio Pirani se agravaram, resultando em conflitos internos. Mesmo fazendo muito sucesso (os 3 primeiros álbuns do Angra superaram a marca de 1 milhão de cópias vendidas) os problemas fizeram com que a banda se separasse em 1999.

Reformulação
Após diversos desentendimentos com Pirani, Andre Matos, Ricardo Confessori e Luís Mariutti saíram da banda em 2000 e no início de 2001, uma nova formação era anunciada com Aquiles Priester (bateria), Edu Falaschi (vocal) e Felipe Andreoli (baixo). A seleção dos novos músicos envolveu critérios rigorosos, sendo que os novos integrantes foram escolhidos em função de suas experiências anteriores, da técnica apurada e do perfeito entendimento musical e pessoal que surgiu logo após os primeiros ensaios. Edu Falaschi era líder da banda Symbols, criada junto com seu irmão Tito Falaschi. Felipe Andreoli, por sua vez, era baixista do grupo Karma, e ainda faz parte desta formação. Aquiles Priester, por sua vez, fundou o grupo Hangar, no qual se encontra até hoje. Assim, após muita expectativa, o Angra voltou às atividades no ano de 2001 com o lançamento mundial do disco Rebirth no mês de Outubro. O nome do álbum, que significa renascimento em português, remete à nova fase vivida pela banda a partir do primeiro semestre daquele ano e foi gravado no Brasil e na Alemanha pelo renomado produtor Dennis Ward. O quinteto ingressou num intenso processo de divulgação do disco, realizando em várias capitais brasileiras (quebrando recordes de público em quase todas elas) e na América do Sul, culminando com um show na casa Via Funchal, na cidade de São Paulo, em 15 de dezembro. A apresentação do quinteto foi cercada de uma cuidadosa produção, com vários detalhes como efeitos pirotécnicos e iluminação requintada, que surpreenderam a platéia. Nesse mesmo show, diante de um público que praticamente lotou as dependências da casa, o Angra recebeu Disco de Ouro por ter alcançado vendas superiores a 50 mil cópias no Brasil, já que se trata de artista considerado internacional pelo mercado fonográfico. Em menos de dois meses, Rebirth já havia atingido o expressivo número de 100 mil cópias vendidas em todo o mundo. Em janeiro a banda voltou ao estúdio, novamente sob o comando de Dennis Ward, para gravar o mini-álbum Hunters And Prey e a canção Kashmir para um tributo ao Led Zeppelin. O álbum trazia algumas faixas novas, além de versões acústicas das canções Rebirth e Heroes of Sand. Trazia também um cover de Genesis, com a canção Mama. Logo após as gravações, a banda ainda participou de um show ao ar livre em comemoração ao aniversário da cidade de São Paulo, no dia 25 de janeiro, realizado no Center Norte, contando com um público de cerca de 12 mil pessoas. Depois de participar de inúmeros programas de rádio e de TV (com destaque para uma aparição no Altas Horas, da Rede Globo, e Musikaos, da TV Cultura), o Angra finalizou a edição do primeiro vídeo clipe do disco Rebirth. A canção escolhida foi a faixa título, e tem como base as imagens gravadas no show acima citado, realizado em São Paulo. O Angra via o surgimento dos resultados de todo esse trabalho ao ser aclamado por praticamente toda a imprensa especializada do Brasil nas tradicionais votações dos leitores de “Melhores de 2001”, além de receber considerável votação também dos leitores da imprensa internacional, especialmente no Japão, naquela que é considerada uma das maiores publicações do gênero de todo o mundo, a revista Burrn!.

Segunda crise
Além da baixa repercussão do Aurora Consurgens, brigas internas e discussões com o empresário Toninho Pirani, levaram novamente o Angra às manchetes dos principais órgãos de imprensa roqueiros. Para piorar a situação, Pirani também se envolveu em diversos problemas (inclusive legais) que culminaram na reformulação total da revista Rock Brigade com redução drástica na tiragem e a troca de diversos colaboradores "das antigas", que também participavam diretamente de atividades envolvendo o Angra. Com sérios problemas financeiros e brigas internas, o Angra encarava a mesma crise vivida na época de Andre Matos, Luis Mariutti e Ricardo Confessori. Na época, chegou a se especular a troca do empresariamento da banda, encerrando uma parceria de 15 anos entre o Angra e Toninho Pirani, detentor dos direitos do nome da banda. Porém, o que se confirmou foi a saída do baterista Aquiles Priester, após declarações bastante polêmicas ao longo de 2007 e 2008.

Retorno
Em recentes entrevistas, Rafael Bittencourt e Kiko Loureiro afirmaram que o Angra estaria de volta entre abril e maio de 2009, com uma turnê para marcar o recomeço das atividades da banda. Loureiro, inclusive, chegou a anunciar a gravação de um novo disco, que será lançado em 2010. Em 2009 o site da banda, em construção, estampava como título do site a frase "Bring the sunrise again" (traduzido do inglês como "Traga o nascer do sol novamente"), um verso da canção "Nova Era", o que indicava um possível retorno. No dia 12 de março de 2009, o site do Angra retornou ao ar, com as frases Look Who's Back (Olhe quem está de volta, em português) e Back to Life ("de volta à vida", também um verso de "Nova Era"). A formação da banda trouxe o retorno do baterista Ricardo Confessori, que fez parte do Angra entre 1993 e 2000, quando criou o Shaman.[26] Confessori retomaria o posto que foi ocupado por Aquiles Priester, que atualmente se dedica integralmente ao Hangar. Em 12 de março de 2009, o site da banda passou a informar que o Angra faria uma turnê em conjunto com a banda Sepultura. A turnê passaria pelo Brasil no mês de maio pelas cidades de Recife, Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória e Governador Valadares. Em 2010, a banda iniciou as gravações de seu novo álbum, intitulado 'Aqua', que deverá ser lançado no segundo semestre. As gravações foram realizadas no Norcal Studios, em São Paulo.

Integrantes
Formação Atual
• Edu Falaschi - Vocal (2000 - atualmente)
• Rafael Bittencourt - Guitarra (1991 - atualmente)
• Kiko Loureiro - Guitarra (1991 - atualmente)
• Felipe Andreoli - Baixo (2000 - atualmente)
• Ricardo Confessori - Bateria (1994 - 2000 / 2009 - atualmente)

Membros Anteriores
• Andre Matos - Vocal/Teclados (1991-2000)
• Luís Mariutti - Baixo (1991-2000)
• André Luis Linhares - Guitarra (1991-1991)
• Andre Hernandes - Guitarra (1991-1991)
• Marco Antunes - Bateria (1991-1992])
• Aquiles Priester - Bateria (2000-2008)

Discografia
Álbuns
• (1993) Angels Cry
• (1996) Holy Land
• (1998) Fireworks
• (2001) Rebirth
• (2004) Temple of Shadows
• (2006) Aurora Consurgens
• (2010) Aqua
Postado Por Daniella Potter*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário